© 2018 by PenseGrande.net      CNPJ: 26.976.275/0001-59      Fone/Whatsapp: (54) 98447 4494

  • YouTube
  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • Pinterest
  • Instagram

Macroeconomia: Como ela afeta o seu negócio


Todo mundo sabe o que é inflação, é o aumento generalizado de preços que faz o seu dinheiro valer menos no futuro, por exemplo, se com R$ 100,00 hoje você compra um sapato XYZ, se a inflação for de 10% em um ano, os seus R$ 100,00 já não bastarão para comprar o mesmo sapato, será necessário R$ 110,00 para comprá-lo. A inflação corrói o poder de compra.


Como o governo tenta frear a inflação indiretamente? Com uma política monetária atuante onde a sua principal ferramenta para esse fim é a Taxa Básica de Juros, a Taxa Selic. Qual a lógica nisso? Se uma economia está em franco crescimento é natural que em um certo momento os preços começam a subir pois a demanda é grande (aqui entra outro aspecto da Economia, da oferta x demanda), neste cenário, o poder de compra da população é grande, o consumo aumenta e a demanda por crédito também.


Aumentando a taxa de juros, o cenário começa a mudar, a demanda por produtos cai, porque o crédito deixa de ser vantajoso ao consumidor, restante apenas os recursos de seus salários ou economias. Também para quem tem poupança, será mais vantajoso deixar o dinheiro no Banco rendendo do que consumir, enfim, a demanda cai, e com isso os preços gerais dos produtos, e assim, a inflação.


Tenha em mente essas relações:


Queda na Taxa de Juros -> Aquece a Economia


Economia Super Aquecida -> Gera Inflação


Inflação Passada – > Gera Inflação Hoje (indexação)


Você viu aí que as variações da Selic e da inflação impactam a relação Oferta x Demanda e isso impacta diretamente o seu negócio, o seu faturamento, os seus preços, a sua produção etc.


Mas, e a taxa de câmbio? Bom, a taxa de câmbio precifica a moeda nacional, no nosso caso o Real, com algumas moedas referências no mercado internacional, como o Dólar, o Euro entre outras. Em uma economia aberta como a do Brasil, a taxa de câmbio pressiona os nossos preços, pois dependemos de muitos insumos importados, se o Real enfraquecer muito, isto é, necessitarmos sacar mais Reais para compra desses insumos e produtos industrializados importados, esse valor a mais será repassado ao consumidor, aumentando os preços, gerando inflação.


Este cenário de desvalorização do Real só é bom para quem exporta, mas liga um alerta grande na Economia Nacional como um todo, pois inflação corrói o nosso dinheiro, diminui poder de compra e aquela coisa toda que vimos acima. E se acontecer ao contrário? Um bom exemplo é o que aconteceu nos anos 1990 no início do Plano Real, onde o Governo fixou o câmbio, onde um Real valia quase um Dólar.


Ou seja, nesse cenário, o Real estava muito valorizado, e isso abriu a Economia aos produtos importados, ficou barato importar, encontrávamos muitos produtos importados em nossos supermercados, mas isso acabou enfraquecendo nossa cadeia produtiva, nossas fábricas não conseguiam competir com os produtos de fora, gerando outros problemas como desemprego etc.


Mas, o Governo manteve isso por um tempo, pois o seu maior foco era o combate à inflação, e a competição de preços e o aumento do desemprego levou os preços para baixo, mesmo que de uma forma sofrida para uma parcela da população, foi para um bem maior, não sei se posso dizer assim, porque a inflação impacta toda a população, principalmente os mais pobres.


Portanto, taxa de câmbio impacta o seu negócio diretamente ou indiretamente, ainda mais no mundo em que vivemos hoje, cada vez mais conectados, onde compramos muitos serviços internacionais pela internet, como anúncios, serviços de hospedagem de sites, licenças de software etc.


Espero que tenha gostado da explicação, sempre com uma linguagem coloquial, para que todos entendam. Um forte abraço!


Edson Luiz Pocahi

4 visualizações
0